Candidata grávida consegue na justiça o direito realizar prova física

Do CorreioWeb


Uma candidata que participava de concurso que previa prova de atividade física conseguiu na Justiça o direito de adiar a data em que se submeteria à avaliação, por estar grávida. Maria Eliana da Silva foi aprovada na primeira fase de um processo seletivo em Aparecida de Goiânia (GO). Mas, por estar com oito meses de gestação, não pôde realizar os testes físicos na data prevista no edital. A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) considerou que Maria Eliana pode realizar a avaliação após se recuperar do parto.

Walter Cunha

O professor Walter Cunha é pós-graduado em Gerência de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Engenheiro Eletrônico pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica ( ITA).

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *