STF: edital do concurso está previsto para sair já em março

STF: edital do concurso está previsto para sair já em março

É grande a expectativa para o concurso do Supremo Tribunal Federal (STF),
destinado ao preenchimento de 262 vagas. Segundo a Assessoria de
Imprensa do órgão, a previsão é
que o edital seja divulgado já em março,
com aplicação das provas já no primeiro semestre. O nome da organizadora
ainda não foi divulgado, mas algumas empresas foram cotadas como o
Cespe/UnB e a Fundação Cesgranrio.
Das vagas oferecidas, 77 são para técnico judiciário, com exigência de nível
médio, e 185 para analista judiciário, de nível superior. Segundo fontes
ligadas ao STF, os vencimentos iniciais deverão ser de R$3.085,70 para
técnico e R$5.104,65 para analista. A previsão é de que a contratação dos
novos servidores ocorra este ano.
Para técnico judiciário serão oferecidas 44 vagas na área administrativa e
33 para a área de apoio especializada (tecnologia da informação). Já para
analista, o concurso terá oportunidade nas áreas de comunicação social
(74), judiciária (48), análise de sistemas de informação (25), suporte em
tecnologia da informação (18), administração (6), revisão de textos (5),
biblioteconomia (1), arquitetura (1), engenharia mecânica (1), odontologia
(1), endodontia (1), contabilidade (3) e clínia geral (1).
Ainda segundo fontes ligadas ao STF, os candidatos realizarão provas
objetivas, de caráter classificatório e eliminatório, abrangendo
Conhecimentos Básicos e Específicos. Haverá exame discursivo somente
para os cargos de nível superior. Os interessados na especialidade
comunicação social passarão por prova prática, destinada a avaliar os
conhecimentos específicos nas áreas de rádio, televisão e imprensa escrita.
Último concurso – O último concurso do Supremo Tribunal Federal (STF)
foi realizado em 1999, pelo Cespe/UnB. A seleção oferecia 268 vagas
imediatas, sendo 154 de analista e 114 de técnico judiciário. O órgão
concvocou cerca de 327 técnicos e 557 analistas.
Os candidatos realizaram provas objetivas, discursivas e práticas. Para
analista judiciário (área jurídica) foram propostas 50 questões sobre os
conteúdos de Noções de Informática, Legislação Aplicada do STF,
Conhecimentos Especificos e Língua Portuguesa.
Os candidatos a técnico judiciário (área administrativa) realizararam ainda
questões de Conhecimentos Gerais. Os aprovados na primeira etapa
passaram por uma prova de digitação (técnico) e redação (analista
judiciário).

http://www.folhadirigida.com.br/script/FdgDestaqueConcurso.asp?pStrLink=2,74,0,165210&IndSeguro=1

»crosslinked«

Walter Cunha

O professor Walter Cunha é pós-graduado em Gerência de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Engenheiro Eletrônico pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica ( ITA).

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *