EVP: (CESPE/Analista SERPRO 2004) Questão 120 – Redes de Computadores

Caros Alunos,

Primeiro, seguindo a tradição, alguns avisos:  

* No Blog, estamos disponibilizando vários prêmios por meio de sorteio e competições. São principalmente livros doados por autores renomados, dentre eles, o nosso mestre João Antônio. Confira no menu “Prêmios”.

* Em breve, o professor Jaime Correia disponibilizará no Blog a correção das provas 2004/2005 do SERPRO, uma ótima para aqueles que estão se preparando para o certame.  

Vamos ao Artigo…  

O grosso das vagas do SERPRO está concentrado na área de Desenvolvimento de Sistemas, a qual não é bem a minha praia. Porém, como quem já conferiu as provas anteriores já percebeu, sempre escapa umazinha de infra. É uma delas que vamos atacar hoje:  

(CESPE/Analista SERPRO 2004) Questão 120 – O traceroute mostra a rota seguida pelo pacote IP até o host de destino. Para isso, envia mensagens ICMP (Internet control message protocol). Da mesma maneira trabalha o ping, enviando pacotes com TTL (time to live) pequenos e esperando receber mensagens ICMP time exceeded até que o pacote chegue ao destino, recebendo uma mensagem ICMP port unreachable, ou alcance o máximo de saltos configurado. 

 

Quando trabalhamos com questões CERTO/ERRADO, estilo CESPE, o melhor a se fazer, é dar uma de Jack, ou seja, ir por partes. 🙂  

Não tente analisar toda a questão de uma vez,  você pode se enrolar com o português truncado propositadamente pelo CESPE. Analise período por período, ou, se preciso for, oração por oração, e vá marcando se cada um está certo ou errado. Para a questão estar certa, não pode haver incoerência em nenhum dos períodos/orações; para estar errada, basta encontrarmos um erro em apenas um deles. Parece óbvio, não é? E é! Mas muita gente se esquece disso na hora do “vamo ver”.  

Vamos exercitar?

 “O traceroute mostra a rota seguida pelo pacote IP até o host de destino.”  

Ok. É isso mesmo que o Traceroute faz.    

 

“Para isso, envia mensagens ICMP (Internet control message protocol).”  

Ok, também. O Traceroute é baseado em mensagens ICMP.    

 

“Da mesma maneira trabalha o ping…”  

+/-, vai depender do que ele quer dizer com “mesma maneira”. Se for trabalhar com ICMP, sim. Porém, para o PING só interessa a resposta do destino final.  

 

“…enviando pacotes com TTL (time to live) pequenos”  

Não necessariamente, o parâmetro TTL é configurável e o seu valor default depende do sistema operacional. Daria pra marcar logo errado? Até que daria… Mas, ao meu ver, a questão ainda está estrebuchando. É melhor usar uma munição mais pesada só para nos certificar, não é mesmo?  

 

“…esperando receber mensagens ICMP time exceeded até que o pacote chegue ao destino, recebendo uma mensagem ICMP port unreachable…”  

Aqui, “meu fí”, não tem nem pra onde correr. Todas as mensagens citadas são mensagens de falha do ICMP, ou seja, problemas no alcance de algum host da rota, e, definitivamente, não é o que se espera. Além disso, se houve falha em um host intermediário, como esperar mensagens dos seguintes? Jaz aqui a questão! Podemos passar para outra então? Como eu digo, ir até o final é bom, e eu recomendo!  

 

“…ou alcance o máximo de saltos configurado.”  

Desconsiderando o erro reportado acima, para efeitos didáticos, realmente, uma vez atingido o TTL configurado, o pacote é descartado pelo primeiro (e único) roteador que detectar o fato, impedindo que o pacote fique eternamente vagando na rede. Detalhe, todos os sistemas operacionais utilizam TTL suficiente para encontrar qualquer host na Terra, portanto, o pacote, de fato deve ser descartado, uma vez que não há mais chance de ele encontrar o destino, se existir.  

Entenderam como deve se proceder a análise?  

Mas, aí você pergunta: “Professor, por que ir até o final?”.  

E eu respondo: “Pelo mesmo motivo que se condena sempre que preciso um criminoso que já tem mais de 300 anos de pena.”  

Alguém já se perguntou o porquê disso? A resposta fica para cenas do próximo artigo.  

Não deixem de enviar suas dúvidas e vou ficando por aqui!  

Walter Cunha

[email protected]  

http://www.waltercunha.com/blog

 

»crosslinked«

Walter Cunha

O professor Walter Cunha é pós-graduado em Gerência de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Engenheiro Eletrônico pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica ( ITA).

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *