Cargos: TCU – Analista de Controle Externo / Auditoria de TI

Nome: Márcio Rodrigo Braz

Órgão/Cargo:
TCU – Analista de Controle Externo / Auditoria de TI

Ano de Aprovação:
2007

Lotação:
Secretaria de Fiscalização de TI (www.tcu.gov.br/fiscalizacaoti)
Histórico de concurseiro: Fiz bacharelado em informática na UFPR (97-00) e Mestrado em Informática também na UFPR (2002). Comecei a vida concurseira tentando Perito da PF (2001) e Petrobrás (2002),
não tive chances, não estava preparado. Depois, no fim de 2002 passei no TJPR  (Programador/Nível superior – 1º lug).  Em 2004, enquanto me preparava para o novo concurso de perito na PF, fiz para outros tribunais (TRT9-AJ-DBA-1º, TRF4-AJ-5º). Na PF bati na trave, no regional fiquei dentro das vagas, mas fui eliminado por décimos na redação, e no nacional fiquei como excedente. Em 2005, novamente bati na trave, desta vez na Receita, apesar de uma boa pontuação, ela não foi suficiente para entrar na 9a. região (PR-SC). A partir de 2006 a sorte virou: passei para AFC-TI na CGU (9º), em 2007 para ACE-Aud.TI no TCU (4º) e para Analista na Câmara dos Deputados (12º).  Ah, em compensação, os cabelos caíram aos montes de tanto ficar trancado em casa estudando!!!

Atividade Diária:
Depende!! No TCU, no controle externo, como regra geral, você atua em fiscalizações ou na instrução de processos. Na instrução, o trabalho costuma combinar o estudo de algum assunto com a análises de documentos, legislação, pesquisas de informações, etc., e resulta na emissão de uma espécie de parecer. As fiscalizações são mais diversificadas. Varia muito de acordo com o que se está fiscalizando e com a técnica de auditoria aplicada. Uma boa parte do tempo você permanecerá estudando, cruzando dados, discutindo o assunto, escrevendo relatórios, e em outras vezes efetuará trabalhos de campo, no local onde se encontra o objeto da fiscalização, para observar procedimentos, realizar entrevistas, coletar evidências.
Áreas de Atuação: As mesmas da SEFTI: Governança de TI, Segurança de TI, Sistemas, Dados, Infra-estrutura, Contratações, Programas e Políticas.

Principais Projetos em Andamento:
Os trabalhos somente são apresentados após a conclusão e julgamento pelo Plenário do TCU.  As fiscalizações mais importantes já realizadas pela SEFTI estão disponíveis em: http://portal2.tcu.gov.br/portal/page/portal/TCU/comunidades/tecnologia_informacao/sefti_fiscalizacoes/fiscalizacoes_realizadas e os processos instruídos em: http://portal2.tcu.gov.br/portal/page/portal/TCU/comunidades/tecnologia_informacao/sefti_fiscalizacoes/processos_instruidos.

Possibilidade Viagens:
Depende da fiscalização em curso e de onde se encontra o objeto da fiscalização. Como o governo federal está concentrado no DF, os trabalhos costumam se desenvolver em Brasília mesmo, porém as viagens podem ocorrer.
Atualização: As normas de auditoria pregam a necessidade de constante aprimoramento e atualização técnica do corpo de fiscalização. Por isso, existem oportunidades para aperfeiçoamento por meio de cursos internos no ISC ou externos, quando necessário.  Os incentivos para a pós-graduação nas áreas de atuação do TCU existem e são regulados por Portaria do TCU. Periodicamente ocorrem concursos para a participação em cursos, concessão de bolsas, etc.
Dicas para Aprovação: Não dá pra descuidar de nada. Como são poucas vagas para TI, qualquer assunto pode fazer a diferença. Em TI, o foco dos últimos concursos foi Governança, porém na última prova para auditoria de TI foram cobrados muitos assuntos clássicos: banco de dados, arquitetura, redes, etc. A discursiva teve um peso significativo, por isso é necessário escrever com desenvoltura. No último concurso para aud. TI, a discursiva também versou sobre a fiscalização em TI, logo é importante estar familiarizado com a atuação do TCU e de outros órgãos nesta área. Por outro lado, não se deve descuidar das matérias jurídicas: administrativo, constitucional, controle externo, orçamento, etc. Eu li pelo menos 2 livros de cada assunto, além das questões, aulas, pdfs, etc.
Bibliografia Utilizada: As clássicas de TI: Tanenbaum (Redes, SO), Silberschatz e C.J.Date (BD), Pressman e Sommerville (Eng. Sw.), Deitel (programação C++, Java),  Heldman (Gerência de Projetos), manuais de referência (PMBOK, Cobit, Itil,UML), segurança (Guia da RSA de Criptografia, Hackers Expostos, Segurança Máxima, Hackers Resposta e Contra-ataque). Nas matéras jurídicas, opte pelos livros mais direcionados aos concursos, existem excelentes dicas de bibliografia nos tópicos fixos dos foruns concurseiros e CW.

Próximos Concursos:
no máximo de remoção! 🙂

Mensagem de Incentivo aos candidatos:
Adorei o tempo que passei na CGU, é um excelente órgão para se trabalhar. Fiquei tentado a ir para a Câmara dos Deputados, muitas pessoas me falaram bem da TI de lá. Agora, com todo o respeito a esses órgãos , confesso estar extremamente satisfeito com a escolha que fiz pelo TCU e pela SEFTI.

»crosslinked«

Walter Cunha

O professor Walter Cunha é pós-graduado em Gerência de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Engenheiro Eletrônico pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica ( ITA).

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *