Orgulho de ser concurseiro

Como eu gostei muito desse texto motivacional, resolvi postá-lo aqui. Quem sabe vocês se identifiquem com ele também. :)

Abraços,

Wiler

Orgulho de ser concurseiro

Postado por Concurseiro Solitario |
Poucos meses depois de começar a estudar para concursos públicos, tive a oportunidade de assistir em São Paulo a uma palestra do mais famoso ex-concurseiro do Brasil, William Douglas, que lá pelas tantas contou uma historinha sobre sua vida como concurseiro que era mais ou menos assim:

“Quando meu pai saia à rua e encontrava os amigos, eles acabam perguntando como estavam os filhos. Tenho um irmão que é engenheiro. Antes de eu passar em algum concurso, quando ainda me matava de estudar, mas não havia alcançado nenhum resultado palpável, meu pai respondia assim: Meu filho engenheiro está muito bem, tem um escritório de engenharia, está ganhando muito dinheiro, tem muitos clientes, dizia todo orgulhoso, mas quando falava de mim era assim: Meu outro filho está estudando para concursos, rapaz esforçado. Pronto, não falava mais nada. Então meus esforços começaram a frutificar, comecei a passar em vários concursos, comecei a emplacar primeiros lugares. Daí quando meu pai saia à rua e encontrava com os amigos, que perguntavam como estavam os filhos, ele passou a responder diferente. Meu filho mais novo, muito inteligente, já passou em vários concursos públicos, para isso, para aquilo, para aquilo outro, está muito bem, tem estabilidade, ótima remuneração, está tranqüilo … e meu outro filho é engenheiro, rapaz esforçado”.

Vocês se identificaram com essa historinha? Eu me identifico até hoje. Ela é engraçadinha, mas na verdade é triste, é fato. Amigo concurseiro, não se engane, pode ter certeza de que se você ainda não é motivo de vergonha para familiares e amigos, será.

Como você pode dizer algo assim?” muitos de vocês devem estar perguntando nesse momento. Digo porque é verdade e pelo simples fato de que concurseiro que ainda não passou em concurso público vale menos uma página de anúncios da sessão de classificados de imóveis de um jornal do ano passado. Ou você ainda não sabe que no Brasil, infelizmente, estudar ainda não é motivo de respeito por parte de muita gente?!

Veja essa descrição da comunidade “Concursando em crise” do Orkut:

“Depois da formatura você ficou perdido(a), em busca do seu lugar no mundo, do significado da sua vida? Você era o orgulho da família e o futuro da nação e passou a ser um problema social, majorando os percentuais das estatísticas do desemprego?

Após inumeráveis momentos de sofrimento, desespero, indecisões, conflitos, angústias… Você decidiu tomar as rédeas da sua vida e se dedicar à estafante, dolorosa e solitária missão de se preparar para os concursos públicos? Começou a correr atrás dos cursinhos, dos editais, das provas e percebeu que os cinco anos do bacharelado foram um faz-de-conta e não terá apenas de revisar as matérias e sim aprendê-las?

Você tenta dar o melhor de si mesmo(a) para alcançar uma das tão sonhadas carreiras públicas? Mas, enquanto uns apóiam seu sonho, outros desdenham do seu objetivo e cobram satisfação da sua vida sem sequer pagar suas contas…”

Essa é a realidade de 99% dos concurseiros. Aliás, a denominação “concurseiro” é na cabeça da maioria sinônimo de “fracassado”. Exatamente, na limitada visão popular brasileira, o cara que continua estudando após os 23 anos, mais ou menos, na verdade não quer nada com a vida dura, com o trabalho, o cara está é enrolando para arrumar ume emprego, é um fracassado, um looser, um derrotado.

Só que, como que com um passe de mágica, quando o concurseiro finalmente alcança a vitória e é nomeado em um cargo público que muitos almejam, mas poucos têm coragem de lutar para conquistar. O fracassado se torna herói, os olhares de censura e vergonha tornam-se olhares de admiração e orgulho. É como na história infantil em que o patinho feio, humilhado e perseguido, se transforma num admirado cisne.

É duro ter de enfrentar a luta dos estudos diários, das provas concorridíssimas, do peso das derrotas, da incerteza, do medo, tudo isso potencializado pela dor de não ser respeitado, de ser olhado com um certo desprezo pelos outros e de vergonha pela família e amigos. Vai dizer que não é!

Mas seus problemas acabaram, amigos, pois tenho a solução para tudo isso. E para ter certeza de que você entenda direito, vou escrever em caixa alta (que equivale a gritar).

TENHA ORGULHO DE SER CONCURSEIRO!

Eu tenho orgulho de ser concurseiro, pois somente eu sei pelo que estou passando, das pedradas que tenho levado, das noites mal dormidas por conta da ansiedade, dos frios e dolorosos momentos de incerteza que tenho de lidar. Tenho orgulho porque sei que não é qualquer um que topa parar a vida como eu fiz, voltar para a casa dos pais, e encarar uma rotina de estudo diário, o dia todo, de segunda a sábado, que hoje completa exatos dezessete meses.

Tenho orgulho de ser concurseiro porque já aprendi muito. Quando comecei a estudar não sabia bulufas da maioria das matérias comuns aos concursos públicos e hoje sei muito, muito mesmo sobre elas.

Tenho orgulho dos três concursos em que já passei, mesmo que não dentro do número de vagas para nomeação imediata, mas que nos quais estou na fila e sei que uma hora vão me chamar.

Tenho orgulho de saber que minha hora está chegando e que logo, logo estarei empossado em um belo cargo público que a maioria dos mortais pode apenar sonhar em ter, mas que morrerão sem alcançar.

Tenho orgulho pela disciplina que conquistei, pela paciência, pela tenacidade, por tudo que me faz acordar dia após dia, sentar na minha mesa de estudo e passar o dia todo estudando, estudando, estudando, estudando.

Por isso digo, tenha orgulho de ser concurseiro. Ande com o queixo erguido. Deixe de responder aos sussurros quando lhe perguntam o que você faz, como que dando razão pelo desprezo com que te tratam. Chega, porra! Se você não se der valor, valor ao que você se propôs fazer, valor ao seu esforço, quem mais dará? Papai Noel? O coelhinho da páscoa?

Ontem fui a uma dessas centrais de xerox para mandar encadernas mais uma apostila de resumos, das dezenas que já mandei encadernar, e havia uma menina aguardando atendimento na minha frente. Quando a atendente perguntou o que ela queria, a garota disse muito baixinho, muito constrangida, que queria uma cópia de uma apostila de concurso feita por um professor da cidade e que estava sendo vendida no local. Até parecia que ela estava comprando algo proibido, drogas ou fotos de pedofilia, algo que não pudesse ser pedido em voz alta. Gente, se essa menina tem vergonha de usar do estudo para conquistar uma vida melhor, como ela poderá estudar de forma séria e comprometida? Não acho que tenha como.

Resumo da ópera – Ligue o foda-se para o que as pessoas pensam de você ande com o queixo erguido. Se você tem um compromisso sério com os estudos e com vencer na guerra dos concursos públicos, então é apenas isso que importa, nada mais. Se tem gente que te despreza, problema deles. Se tem gente que tem vergonha de você, pobre deles. Fique tranqüilo, que quando você for empossado em seu belo cargo público, terá certeza de que todo o esforço e sofrimento valeu a pena!
Charles Dias é o Concurseiro Solitário.

Fonte: http://concurseirosolitario.blogspot.com/2009/02/orgulho-de-ser-concurseiro.html

»crosslinked«

Deixe uma resposta