Parte I – CMMI

QUALIDADE DE SOFTWARE (CMMI E MPS.BR)

A estrutura dos modelos é similar, portanto não é um esforço duplicado. Vamos iniciar pelo CMMI e posteriormente complementar com o MPS.br que é o modelo brasileiro.

PARTE I – Conceitos básicos

1 – CMMI

Origem – CMM (93) que foi o primeiro modelo de maturidade para a área de TI, o SW-CMM que deu origem a uma série de modelos:
• SE – CMM – Engenharia de sistemas
• SA – CMM – Aquisição de software
• SECAN – S.E. Capability Assessment Model
• EIA 731 – Capabily model

E finalmente às áreas ISO com normas para processos de Software, Processos de Sistema e Melhoria de processos :
• ISO/IEC 12207
• ISO/IEC 15288 e
• ISO/IEC 15504).

Neste constexto temos vários modelos sendo desenvolvidos, e em várias organizações. O que acontece que as organizações começaram se defrontrar com n modelos a seguir, mas a partir do momento que eu quanto organização adoto modelos diferentes de diferentes fontes, isso acaba tornando um problema na integração das ações. Por conta disso as organizações se viam limitadas na melhoria dos processos. Então surgiu a demanda pela Integração desses modelos. CMMI é a integração: idéia para unificar conceitos O projeto do CMMi teve que com grande objetivo INTEGRAR (SE, SE, SA) e mais estrutura conceitual comum construída de maneira tal para permitir a agregação de novos conteúdos,novas disciplinas, esse foi o objetivo.

Então é que o projeto CMMI foi buscar no mercado as referências:

1 – CMM for software (93) v.1
2 – CMM for software (97) v.2
3 – EIA 731 (98) engenharia de sistemas
4 – IPPD CMM (97) des. de produtos e processos de trabalho. Foram integrados dentro do CMMI versão 1.1(2002)
1.2(2007)
CMMi para aquisição (2007)
CMMi para serviços (2007)

É preciso conhecer as duas versões para concursos.

DISCIPLINAS

• SW – Engenharia de software: Desenvolvimento de software (aplicativos) a engenharia de software envolve abordagem para desenvolvimento, operação e manutenção de software. Ainda que não temos nenhum processo que foque operação.
• SE – Engenharia de sistemas: abordagem sistemática aplicada a transformação da necessidade de uma organização em produtos completosSolução completa ou sistemas que pode envolver hardware ou pode envolver software.
• IPPD (desenvolvimento integrado de produto e processo) : trata da colaboração entre a equipe de desenvolvimento e a equipe de produção/operação para garantir que ao longo do projeto elas participem do processo de desenvolvimento, e com isso garantir que as necessidades dos usuários serão atendidos.
• SS ( Gestão de fornecedores) é uma abordagem mais complexa, mais abrangente, quando essas contratações são mais críticas. Dentro das disciplinas de Engenharia de software e sistemas temos a gestão de contratos. De fato gerenciar o trabalho do fornecedor.
Essas 4 disciplinas podem ser agregadas em variáções do modelo.

Na versão 1.1 – 4 conjuntos possíveis de disciplinas:
• CMMI – SW
• CMMI -SE/SW
• CMMI-SE/SW/IPPD
• CMMI-SE/SW/IPPD/SS

CADA UM em duas representações possíveis:
– CONTÍNUA
– ESTÁGIO

Na Versão 1.2: novo conceito – CONSTELAÇÃO: que é o CONJUNTOS DE ÁREAS relacionadas entre si,isto é, conjunto de componentes para que vou reunir em um modelo para atender a uma necessidade específica.

O CMMI 1.1 evoluiu para:
• CMMI 1.2 Dev: CMMI para desenvolvimento de software, o que a organização deve tratar para desenvolver software. E da versão 1.1 nasce novos modelos para tratar especificamente de aquisições e serviços:
• CMMI para Aquisições (CMMI – Acq) -ótica de qum esta contratando um terceiro para desenvolver.
• CMMI pra Serviços (CMMI-Svc): na verdade não é um modelo exclusivo de TI, e sim gerencia de serviço de qq natureza. Nâo é concorrencia do ITIL.

O CMMI 1.2 DEV= o modelo passa ser mais consolidado. Conjuntos possíveis de disciplinas. (Eng. de software- SW, Eng. de Sistemas-SE, Gestão de fornecedores-SS) só IPPD fica como opcional.

Já no CMMI 1.1 temos 4 conjuntos possíveis de disciplinas. ( CMMI – SW, CMMI -SE/SW, CMMI-SE/SW/IPPD,CMMI-SE/SW/IPPD/SS).

Na parte II teremos mais detalhes.

Helen Queiroz

»crosslinked«

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *