Questão ISO/IEC 12207

Ao resolver uma prova específica, surgiu uma certa dificuldade em interpretar algumas questões baseadas em normas como NBR ISO/IEC 12207 ou NBR ISO/IEC 15504, particularmente tenho achado as questões relacionadas com estas normas um pouco complexas ou confusas, talvez pela razão destas normas não definirem a aplicação total de processo relacionado com engenharia de software, mas aspectos de forma genérica, permitindo interpretações.

Portanto resolvi responder uma delas e colocar à prova meu raciocínio.

Não vou aqui dar uma completa explicação sobre as normas, ambas as normas são, ao meu ver, extensas e exigem uma boa leitura prévia, que recomendo. Vou então deixar uma definição básica sobre a aplicação de cada uma delas.

ISO/IEC 12207: Tecnologia de informação – Processos de ciclo de vida de software: Norma ISO/IEC que define
processo de desenvolvimento de software,
tem como objetivo principal estabelecer uma estrutura comum para os processos de ciclo de vida de software visando ajudar organizações a compreenderem todos os componentes presentes na aquisição e fornecimento de software e, assim, conseguirem firmar contatos e executar projetos de forma mais eficaz.

ISO/IEC 15504: Tecnologia de informação – Avaliação de Processos: Evolução da ISO/IEC 12207 mas possui níveis de capacidade para cada processo assim como o CMMI. A Norma ISO/IEC 15504 define um modelo bidimensional que tem por objetivo a realização de avaliações de processos de software com o foco da melhoria dos processos gerando um perfil dos processos, identificando os pontos fracos e fortes, que serão utilizados para a elaboração de um plano de melhorias e a determinação da capacidade dos processos viabilizando a avaliação de um fornecedor em potencial

Então vamos a questão propriamente dita:

Com relação a norma NBR ISO/IEC 12207, analise:

I. Nesta norma, um dos princípios básicos é o da Responsabilidade, em que cada processo na norma é de responsabilidade de uma parte envolvida, que pode ser uma organização ou parte dela, sendo que as partes envolvidas podem ser da mesma organização ou de organizações diferentes.

II. No princípio básico da Modularidade, os processos têm baixa coesão e alto acoplamento, ou seja, o número de interfaces entre os processos é maximizado, visando facilitar modificações nos processos, de forma que a alteração de um processo seja repassada aos demais processos da estrutura.

III. A norma estabelece uma estrutura comum para os processos de ciclo de vida de software, cobrindo desde a concepção até a retirada do software do mercado e também provê um processo que pode ser utilizado para definir, controlar e melhorar os processos de ciclo de vida de software.

IV. Nesta norma os processos são classificados em três tipos: fundamentais, de apoio e organizacionais, sendo que a existência dos processos de apoio e organizacionais dependem da organização e do projeto que está sendo executado.

É correto o que consta APENAS em

(A) I e II.

(B) I e IV.

(C) I e III.

(D) II e III.

(E) II, III e IV.

Bem, vamos analisar a questão detalhadamente:

I. Nesta norma, um dos princípios básicos é o da Responsabilidade, em que cada processo na norma é de responsabilidade de uma parte envolvida, que pode ser uma organização ou parte dela, sendo que as partes envolvidas podem ser da mesma organização ou de organizações diferentes.

Correto.

Segundo a própria norma temos:

5.1.1.8 O adquirente deveria preparar, documentar e executar um plano de aquisição. O plano deveria conter o seguinte:

a) Requisitos para o sistema;

b) Emprego planejado para o sistema;

c) Tipo de contrato a ser empregado;

d) Responsabilidades das organizações envolvidas;

e) Conceito de suporte a ser usado;

f) Riscos considerados, assim como métodos para Gerenciá-los.

II. No princípio básico da Modularidade, os processos têm baixa coesão e alto acoplamento, ou seja, o número de interfaces entre os processos é maximizado, visando facilitar modificações nos processos, de forma que a alteração de um processo seja repassada aos demais processos da estrutura.

Na minha visão, errado!!!

Não só errado como foi invertida a definição dos termos.

Esta norma se aplica a engenharia de software e tem dois princípios básicos: modularidade e responsabilidade.

Modularidade implica em definir um produto ou processo com alta coesão e baixo acoplamento, o que é o contrário do comentado acima.

III. A norma estabelece uma estrutura comum para os processos de ciclo de vida de software, cobrindo desde a concepção até a retirada do software do mercado e também provê um processo que pode ser utilizado para definir, controlar e melhorar os processos de ciclo de vida de software.

Correto! A norma trata de todo o processo de engenharia de software, principalmente focada em processo e ciclo de vida de software.

IV. Nesta norma os processos são classificados em três tipos: fundamentais, de apoio e organizacionais, sendo que a existência dos processos de apoio e organizacionais dependem da organização e do projeto que está sendo executado.

Errado.

Da norma, em seu item 6, quanto a processos de apoio temos:

As atividades e tarefas em um processo de apoio são de responsabilidade da organização que o executa. Essa organização garante que o processo existe e é funcional.”

Da mesma forma, no item 7, quanto a processos organizacionais:

As atividades e tarefas em um processo organizacional são de responsabilidade da organização que o utiliza. Essa organização garante que o processo existe e é funcional.”

Isto quer dizer que a forma de execução da atividade muitas vezes depende da organização, mas para seguir a norma a organização deve garantir que sejam executadas as normas.

PORTANTO, SEGUINDO O DISPOSTO ACIMA A RESPOSTA CORRETA É C!!!

É isso, espero ter ajudado no entendimento destas normas, e agradeço colaborações!

Abraços e bons estudos.

Mauricio ([email protected])

»crosslinked«

Mauricio Antonio Ferste

Graduação em Bacharelado em Informática pela Universidade Federal do Paraná (1997) e mestrado em Engenharia Elétrica e Informática Industrial pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (2006). Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Sistemas de Informação. Atualmente funcionário do SERPRO (www.serpro.gov.br), atua no desenvolvimento de sistemas. Professor atuante na FAMEC (http://www.famec.com.br), no curso de Bacharelado em Sistemas de Informação (Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/9368615800123473).

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Carlos Eduardo Melo disse:

    Caro colega,
    Discordo da sua resposta. Na minha opinião, a resposta certa é a letra B. Isso porque:
    III. A norma estabelece uma estrutura comum para os processos de ciclo de vida de software, cobrindo desde a concepção até a retirada do software do mercado e também provê um processo que pode ser utilizado para definir, controlar e melhorar os processos de ciclo de vida de software.
    A norma não provê um processo mas vários processos (organizacionais) que pode ser utilizado para definir, controlar e melhorar os processos do ciclo de vida de software.
    IV. Nesta norma os processos são classificados em três tipos: fundamentais, de apoio e organizacionais, sendo que a existência dos processos de apoio e organizacionais dependem da organização e do projeto que está sendo executado.
    Correto, pois, segundo a própria norma, na tarefa 5.1.4.1 afirma “O adquirente deveria complementar a monitoração com o processo de verificação (6.4) e validação (6.5)”…
    Claro, posso estar errado, mas esta é a resposta certa na minha opinião.

    • Mauricio disse:

      Acho muito salutar a discussão pois evolui o próprio conteúdo e validade do mesmo.Concordo que é uma questão um pouco confusa, pois como trata de uma lei, uma simples mudança de pontuação pode realmente alterar a validade da questão. Entretanto considerei os seus aspectos de estudo e justificativa e ainda considero inválidos, segue a defesa:
      III. A norma estabelece uma estrutura comum para os processos de ciclo de vida de software, cobrindo desde a concepção até a retirada do software do mercado e também provê um processo que pode ser utilizado para definir, controlar e melhorar os processos de ciclo de vida de software.
      Réplica sua:A norma não provê um processo mas vários processos (organizacionais) que pode ser utilizado para definir, controlar e melhorar os processos do ciclo de vida de software.
      Defesa: Não há muito o que justificar, o texto em questão foi tirado da própria norma, veja, item 1.1 Objetivo, segue o texto: ‘ Esta Norma também provê um processo que pode ser utilizado para definir, controlar e melhorar os processos de ciclo de vida de software’. Portanto, não há o que se reclamar, a não ser que exista alguma nova redação, a única saída seria pedir a revisão da norma quanto o uso palavra “processo”. Portanto, de acordo com a norma este item está correto.
       
      IV. Nesta norma os processos são classificados em três tipos: fundamentais, de apoio e organizacionais, sendo que a existência dos processos de apoio e organizacionais dependem da organização e do projeto que está sendo executado.
      Réplica sua: Correto, pois, segundo a própria norma, na tarefa 5.1.4.1 afirma “O adquirente deveria complementar a monitoração com o processo de verificação (6.4) e validação (6.5)”… Claro, posso estar errado, mas esta é a resposta certa na minha opinião.
      Defesa: Veja, este item na minha opinião é extremamente confuso. Primeiro: Sua justificativa está errada pois você utilizou o item 5.1.4.1 que trata do processo de Aquisição, pertencente aos processos fundamentais para justificar uma informação sobre processos de apoio (item 6) e processos organizacionais (item 7).
      Sinceramente tinha uma dúvida pois no início da redação da norma, na introdução é dito que “Os processos desta Norma formam um conjunto abrangente. Uma organização, dependendo de seu objetivo, pode selecionar um subconjunto apropriado para satisfazê-lo. Esta Norma é, portanto, projetada para ser adaptada para uma organização, projeto ou aplicação específicos. Também é projetada para ser utilizada quando o software é uma entidade independente ou embutida ou integrada a um sistema.”, o que dá a entender que o processo pode ser customizado por organização, mas também por projeto, e de fato o é. Seguindo a leitura da norma no item 6 e item 7 onde se fala sobre processos de apoio e organizacionais existe o texto repetido para ambos os processos “As atividades e tarefas em um processo de … são de responsabilidade da organização que o executa. Essa organização garante que o processo existe e é funcional.” o que passa a definir que, embora o processo possa ser customizado por projeto a existência do processo está no escopo da organização e não de projeto. Portanto, tratando-se dos processos de apoio e organizacionais o item está errado. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *