Trajetória de Concurseiro – Rhino

Minha careira é curta, mas vamos lá =D
Eu me formei em engenharia de redes de comunicação na UnB. No 7o período do curso, comecei a estagiar na TIM, e achava muito bom! Eu gostava da área, gostava das pessoas de lá, e nem ligava pra pressão que existia. Eu decidi largar o estágio e começar a estudar pra concurso faltando 4 meses para me formar, quando, um belo dia, uma área da empresa foi extinta. Isso mesmo, alguns funcionários tinham a opção de ir pra Holding no Rio e outros seriam demitidos… A partir daí eu decidi que queria um emprego estável.
Eu comecei a estudar pensando a longo prazo no
TCU, e a curto prazo, no que aparecesse. Um pouco depois que comecei a estudar (+ou- abril de 2008), saiu o edital pro concurso da Petrobras, com vaga pra analista de infra em Natal. Eu sou de Natal, e sempre procurei uma oportunidade pra voltar… Estudei muito, mesmo fazendo projeto final do curso e algumas matérias. Deu tudo certo, e o resultado do concurso saiu uma semana antes de eu me formar! Fiquei uns 3 meses sem fazer nada, mas como vi que não tinha previsão para a Petro chamar (por causa da crise), continuei estudando pro TCU. No meio do caminho fiz as provas da Anatel e da Ana, ambas pra analista de redes. A Anatel tinha 2 vagas, eu fiquei em 3o. A Ana tinha 1 vaga, eu fiquei em 2o (na verdade, esses dias eles reaplicaram a prova discursiva, mas eu nem fui fazer…). Depois disso fiquei só estudando pro TCU. Já perto da prova, a Petrobras me chamou pro curso de formação no Rio. Continuei estudando, na medida do possível, mas aquela prova realmente foi tensa! Ainda fiquei satisfeito com o meu resultado: fiz 63/100 das básicas e 36/100 das específicas. Depois disso continuei o curso de formação (acabei essa semana!), e como vou ficar em uma área que me interessa muito, e ainda mais em Natal, decidi parar de estudar. Posso até fazer prova pra algum tribunal de lá, se aparecer, mas sem estudar muito…

Para estudar as matérias básicas, eu usei muito os cursos do Ponto dos Concursos. É caro, mas eu acho que vale a pena, tanto pela didática, quanto pela filtrada no que é importante. Para as específicas, a parte de infra eu estudei resolvendo provas (já tinha uma boa noção, mas precisava aprender como era cobrado) e tirava dúvidas na lista e na net. A parte de Gestão eu estudei pelo curso online do Gledson (muito bom!) e pelo livro do Aragon, e depois com questões. A parte de desenvolvimento/eng de software, onde eu sou mais fraco, tentei pelo Sommerville… Depois, quando vi que tava difícil, fui pras questões. Mais perto da prova, fiz o curso online do Márcio Victorino (muito bom!). Como a prova do TCU aprofundava em todos os “ramos” da TI, preferi estudar bem alguns assuntos, e outros eu nem olhei…

Roberto Borges – 23 anos

»crosslinked«

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Roberto disse:

    Putz, não escrevi nada pra ter moral não.. hehe.. O Walter me pediu pra escrever sobre meus estudos, e porque eu tava parando. Aí eu escrevi até o “(…) sem estudar muito…”.
    O outro parágrafo eu só quis escrever pra dizer a forma de estudo e o material que eu usei, só isso.
    Não passei no TCU e, pelo menos por enquanto, não pretendo tentar novamente…

  2. Paulo Marcelo disse:

    Mais um concurseiro de alto nível que se aposenta! Parabés  Rhino! Sucesso na petrobrás!
     
    Paulo Marcelo (paulo1410)

  3. MRezzo disse:

    A moral da história é: minha bicicleta é azul.

  4. roberto disse:

    … e……… não acabou o texto ou terminou ai mesmo? A o concurso do TCu?Passou?Não passou?Vai tentar novamente?

  5. Igor Queiroz disse:

    Nada contra o texto, mas pelo andar da carruagem eu pensava que ia  haver alguma moral da história 😛

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *