Deixando o passado para trás

deixe o que passou para trás

Olá a todos os colegas concurseiros. Escrevi um, aliás mais um, post sobre motivação. Como o assunto é um pouco fora do tema do blog, vou deixar apenas o texto sobre concursos. Se alguém quiser ler o restante do post vou deixar o link para acesso, ok?

Post original: http://wallysou.com/2010/12/09/deixando-o-passado-para-tras/

Estudando a lição 11 da CPAD para a EBD, deparei-me com este fragmento de texto, no final da conclusão da lição, ou seja, nos finalmentes do frigir dos ovos (risos): “vai-te em paz e não peques mais“, de João 8.11. Quero deter-me unicamente nessa pequena frase que requer complemento: Vai-te. E vou completá-la para você.

Sabe o que me chamou atenção nisso, nesse versículo aparentemente desprezado no meio de tantas coisas que ouvimos hoje em dia? É que, encerra-se nessa antiga frase de poucas palavras, valiosas lições para as pessoas de hoje, quais sejam:

1. Vai-te significa, em primeiro lugar, deixe seu passado para trás.

[…]

2. Vai-te significa, em segundo lugar, avance.

[…]

3. Vai-te significa, em terceiro lugar, não pare.

[…]

4. Vai-te significa, em quarto lugar, não desista.

[…]

5. Vai-te significa, em quinto e último lugar, siga em frente.

Mover-se não quer dizer que você seguindo adiante, para frente. Pode ser que você tenha, simplesmente, desistido e decidido voltar atrás, ao invés de deixar o passado para trás, não é verdade? Sim, há muitas pessoas que desistiram, entregaram os pontos mas não estão paradas. Elas estão… voltando. Preste atenção no que vou lhe dizer agora: nós não sabemos ao certo onde é a linha de chegada, e ela pode estar mais próxima do que você pensa, logo após a próxima esquina, e você nem desconfia. Se você parar e desistir agora, nunca saberá se a próxima esquina lhe reservava uma agradável surpresa.

Quando eu estava estudando para um concurso difícil (analista administrativo – MPU2006), senti-me tentado a parar, a jogar tudo pro alto e desistir… E em um certo dia, essa tentação bateu mais forte, quando eu me encontrava bem fragilizado, e cheguei mesmo a considerar abandonar a corrida pouco tempo antes de ela terminar. Naquele dia de provação insuportável, decidi que iria até o fim, desse o que desse, custasse o que custasse. Se aquele concurso era uma batalha, eu morreria como guerreiro: lutando.

Então, nesse mesmo tempo, alguém me enviou uma mensagem com o assunto “não desista”, e uma frase que me marcou foi: “você nunca sabe quão perto está da linha de chegada, se perto ou longe, e pode estar mais perto do que pensa. É nos momentos mais duros da batalha que devemos dar os golpes mais fortes. Não desista” (estou escrevendo de cabeça, ok? Mas, se quiser, pode lê-la no original clicando aqui).

Quer saber o resultado, se fiz a escolha certa? Continuei estudando, ainda que capengando, tropeçando e levantando, mas fui até o fim e fiz a prova. Quando o resultado foi anunciado, lá estava meu nome em primeiro lugar na lista local. Como se isso fosse pouco, tive o indescritível e honrado prazer em me ver entre os 5 primeiros colocados a nível nacional, para aquele cargo, aquele mesmo que eu pensei em desistir…

Quem sabe, caro leitor(a), você está lendo essas linhas movido pelo mesmo sentimento de impotência que me acometeu há 4 anos, e é um candidato em potencial a se tornar mais uma vítima do fracasso pelo simples fato de desistir ANTES de a batalha encerrar. Se você não tiver mais NENHUM motivo para seguir em frente e parar por aqui mesmo, estou lhe dando um.

Enxugue as lágrimas, engula esse nó da garganta e saiba: você não chegou aqui por acaso. Escrevi essas palavras pensando em você, e você sabe que elas têm destino certo: animar seu sofrido coração, e restaurar suas forças e lhe dar novo ânimo (vida). Sinta esse sopro de vida se derramando sobre você e levante-se dessa cadeira convicto de que é possível reverter esse quadro. Eu creio nisso, e você, por que não creria?

Agora, quero lhe pedir um favor: sabe, eu escrevo por prazer e (ainda, porque não descobriram meu talento… risos) não ganho por isso. Então, às vezes, bate aquela desmotivação natural, que você deve conhecer bem, talvez em outro sentido, mas comigo é assim: “puxa, quase ninguém comenta, quase não tenho retorno, será que ninguém gosta, será que ninguém é beneficiado com o que escrevo?”.

Sim, eu também sou de carne e osso (hoje mais carne que osso, quando mais jovem, era mais osso do que carne, mais isso é outra história…). Já venci muitas batalhas, é verdade, mas não estou imune às provações, assim como você, eu também tenho meus dias de dúvidas, incertezas e angústias. E como você pode me ajudar a continuar escrevendo? Comentando, se REALMENTE gostou e se isso o ajudou, de alguma forma.

Bem, pode ser que as pessoas venham comentar dizendo que eu tenho que PARAR de escrever… risos. Mas, faz parte né? Então, se você conseguiu chegar até aqui, espero vê-lo nos comentários, certo?

Deus te abençoe.

Soli Deo gloria.

Desafiando os limites do fracasso, aqui no blog Desafiando Limites. Gostou, por favor, avalie.

wallysou

ex-concurseiro =o)

Você pode gostar...

14 Resultados

  1. wallysou disse:

    oi Gisela, postei seu comentário em meu blog, e tb respondi lá, confira, pq faço uma ‘confissão’ que vc vai gostar de ler.

    [ ]s

  2. wallysou disse:

    caro Daniel, sua resposta tb é um incentivo para mim.

    abs.

  3. wallysou disse:

    obg, Manoel.

    tomei a liberdade de postar sua resposta em meu blog.

    [ ]s

  4. Manoel disse:

    Muito bom mesmo o texto… é uma motivação a mais com certeza! =)
    Lutar sempre, desistir jamais!
    Abraço.

  5. Daniel disse:

    Cara, que texto motivador a acertado para meu momento, parabéns. Não pare de escrever. Vc é otimo.

  6. Gisela Monteiro disse:

    Puxa… lindo o texto, e para mim realmente vc escreveu para mim… adorei…bjs.

  7. wallysou disse:

    vlw Leo, pelo feedback.

    às vezes, desabafar é tão útil que a gente nem se dá conta disso… quem sabe, um dia, eu posto algo sobre “Desabafo”?

    abs, e vlw pelo comentário.

    o/

  8. wallysou disse:

    se foi no meu blog, foi a parte completa, sim.

    =o)

    [ ]s

  9. Marcos disse:

    Eu li a parte que tava no blog rs, essa não seria a parte completa? rs …

  10. leo disse:

    Gostei do texto, digamos que ele me deu um sopro mais para continuar tentando. Mas sinceramente, como você mesmo disse tem hora que dá vontade de jogar tudo pro ar e nos contentar com aquilo que temos. Falo isso porque já sou funcionário público mas estou insatisfeito com meu trabalho pelo fato de não ser aquele no qual me graduei (que foi na área de TI, atualmente trabalho na área administrativa). O maior problema é que não tenho quase nenhuma experiência na área em que me graduei e me atual serviço me toma boa parte do tempo. Quando tenho folga estou estudando para concursos. Já pensei em  até mesmo em largar meu emprego e ir pra iniciativa privada, mas já vi que não compensa. Enfim obrigado pelo post e desculpe pelo desabafo.

  11. wallysou disse:

    eae, [quase] xará… risos

    vlw, obg pelo retorno.

    [ ]s

    ps. gostou do texto COMPLETO ou só da parte que postei aqui?

    =o)

  12. wallysou disse:

    obg Marcos, pelo feedback.

    um gde abço e sucesso para vc, mano.

    abs.

  13. Marcos disse:

    Bastante interessante seu texto. Rapaz, confesso que já pensei várias vez em desistir rsrsrs, mas sempre bate aquela luz no fim do túnel que a vitória está na próxima esquina não é mesmo? Então vamos ver minha trágica história rsrs, 20 lugar na Caixa Economica, 5 lugar para técnico no IFPB, só havia 2 vagas efetivas + CR( ainda tá em validade ), que mais? Hum… o concurso do Cobra, minha primeira aprovação num concurso público que não pude assumir, devido ao curso não ter similiaridade e exigir CREA. Nesse muído todinho, eu ainda estou na luta, com todas as frustações etc e tal. Moral da história, 6 meses já de estudo e to pensado em empreender rsrs, isso mesmo, partir para um negócio próprio, mas vou deixar espaço para os concursos também. Minha motivação para a área de negócios e administração é muito forte e nunca coloquei esses conhecimentos em prática, então acho que podemos multiplicar sonhos. Pq não? hehehe

  14. Walter Lembi disse:

    Excelente texto! Meus parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *