Projetando novas conquistas para uma nova vida

Olá a todos!

Como estamos [ainda] comemorando um Novo Ano, escrevi algo que pode ser de utilidade, principalmente aos desmotivados nos estudos. Sim, eu sei, só sei escrever – no tema concursos – sobre motivação, mas fazer o que, né? Com tanta gente se desmotivando por aí, ainda sobra espaço para escritores medianos como eu escreverem textos tentando levantar o astral do povo. (risos)

Um grande abraço e desejo de sucesso e êxito em 2011.

post original: http://wallysou.com/2011/01/04/projetando-novas-conquistas-para-uma-nova-vida/

Falhar em planejar = planejar para falhar

Projetando novas conquistas para uma nova vida

Para muitos, um novo ano significa a renovação da esperança de uma nova vida. Todavia,
entra ano e sai ano, as coisas continuam iguais e a esperança se frustra mais uma vez. Mas, o detalhe ignorado é: por que esperar resultados iguais quando se iguala os esforços anteriores, repetindo os mesmos erros? Se quer resultados diferentes, aja de forma diferente da de antes.

Então, uma parte da resposta à pergunta “O que fazer para ser bem-sucedido em seus projetos? Qual o segredo de obter êxito na concretização de seus sonhos?” já foi dada. Mas, só isso basta para, a partir de agora, conquistar a realização de seus objetivos? Não, infelizmente não É preciso mais, ainda há algo mais a ser feito para fazer seus sonhos saírem do plano abstrato e se concretizarem. Quer saber mais, acompanhe-me nessa descoberta.

Nesta viagem, vou fazer uso da história que conta acerca de um dos concursos públicos mais difíceis da História, com a maior concorrência jamais vista, enfrentando as mais duras provas já ministradas, durante o maior tempo de provação já visto e, no final, apenas dois candidatos lograram êxito nesse certame(*). Estou me referindo a Josué e seu companheiro Calebe, e faço menção ao texto de Números 13. 26 a 30, onde está registrada a razão de sua conquista:

O relatório da expedição (texto da Nova Versão Internacional)

Eles então retornaram […] “Entramos na terra à qual você nos enviou, onde manam leite e mel! Aqui estão alguns frutos dela. […] Então Calebe fez o povo calar-se perante Moisés e disse: “Subamos e tomemos posse da terra. É certo que venceremos!” (grifos acrescidos)

Aqui, nesses poucos versos, está registrado – e revelado! – o segredo de conquistar aquilo que, à primeira vista, parece impossível para alguns, e é sobre isso que falaremos nas poucas (espero… risos) linhas que se seguirão, dando-lhe os passos a serem seguidos em sua trajetória rumo ao sucesso.

1. Não dê ouvidos às vozes dos pessimistas.

Pessimistas são pessoas que, nessa nossa pequena lição, fracassaram antes de tentar, pois o medo, não da derrota, mas do sucesso, as venceu. Sucumbiram diante da possibilidade de conquistarem e de vencerem. Você já ouviu aquela frase, há muito famosa, que diz “com medo de ser feliz”? Exatamente, eles tinham medo da vitória, medo de serem felizes.

Talvez, quem sabe, houvesse neles um sentimento residual da época da escravidão e, mesmo sendo libertos do cativeiro, continuaram escravos de seus próprios medos e receios. Era desses as vozes que diziam à Josué, Calebe e Moisés que não adiantava lutar, pois a derrota era certa. Alguns estudiosos leitores das Escrituras apelidaram esse tipo de gente que nutre esse tipo de sentimento de vítimas da “síndrome do gafanhoto“. Há muitos, atualmente, contaminados por esse antigo sentimento.

Mas, cabe a você não se deixar contaminar com isso, então, nada de dar ouvidos às vozes pessimistas. E, se você chegou até aqui, mesmo possuindo um histórico de derrotas e decepções, é possível mudar essa sina e, a partir de agora, escrever um novo final para esse triste roteiro o qual você tem vivido. Sim, sua história pode ter um final diferente daquele que você já experimentou antes. Esse amargo sabor de derrota pode ser esquecido, e um novo sabor, de vitoria, conhecido. Como? Em primeiro lugar, deixe de dar ouvidos às vozes dos derrotados e pessimistas.

2. Novas oportunidades surgirão

É comum pensarmos que, ao perdermos uma oportunidade, achemos que ela não mais voltará, e que todo nosso esforço foi em vão, já que não conseguimos nosso intento. Se você pensa assim, saiba que você está quase certo. Eu também já pensei assim, sabia? É verdade, eu também já me decepcionei, me frustrei e me desiludi muitas vezes, exatamente por desprezar aquele “quase” antes do “certo”.

Se gostou e quer continuar a leitura, clique aqui.

Comentários, críticas (sim, críticas) e sugestões serão bem-vindas.

#Flz2011

wallysou

ex-concurseiro =o)

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *