Trajetória: Rodrigo Pacheco, Aluno ITnerante-RF, Aprovado no MPU 201

Meu nome é Rodrigo de Souza Pacheco Tavares (ou apenas Pacheco =P) e passei dentro das vagas no último concurso do MPU para o cargo de analista de desenvolvimento.
Me formei em Ciência da Computação na UFPE em 2006 e trabalhei na iniciativa privada até maio de 2010. Na época em que me formei, tinha um certo preconceito com o serviço público. Tinha aquela velha visão de que ninguém trabalhava. Não que eu quisesse ser o herói, mas não passava pela minha cabeça não produzir nada dia após dia.
Com o tempo,

alguns amigos meus foram passando em concursos e desmistificaram essa visão que eu tinha. Ainda há muita gente no serviço público que só faz “mamar nas tetas do governo”, é verdade, mas para os que querem trabalhar, há muito trabalho a fazer. Sem contar que o funcionalismo público está passando por uma renovação. Muitos jovens dispostos a trabalhar estão entrando e estão melhorando essa imagem que o serviço público construiu.
Junto com essa desmistificação veio minha insatisfação com a iniciativa privada. Muito trabalho, salário baixo e sem perspectivas de crescimento em Recife. Para piorar, minha namorada – também formada em computação – começou a cursar direito. Ela é muito estudiosa e quer fazer concurso pra área de direito. Ou seja, ela iria se formar, passar num bom concurso, trabalhar bem menos que eu e ganhar o triplo. Resumindo: eu iria ser um figurante na minha própria casa!
Juntando esses motivos e mais alguns outros, resolvi começar a estudar pra concursos no final de 2009. Falei com meu grande amigo Pedrosa, com quem estudei no colégio e na faculdade (muitos aqui já devem ter tido aula com ele), e pedi os bizus. Ele havia se “aposentado” da vida de concurseiro recentemente e me deu o caminho das pedras (valeu, pedrosinha).
No começo, eu trabalhava a manhã e a tarde toda e estudava a noite. Estudava umas 3 horas líquidas por dia, de segunda a sexta, e umas 5 a 6 horas líquidas por dia no fim de semana (5 a 6 no sábado e 5 a 6 no domingo). Pra quem trabalha o dia todo, fim de semana não é tempo de descanso, é tempo de “recuperar” o atraso. É melhor estudar 1, 2 ou 3 anos com pouco descanso e depois descansar pelo resto da vida.
Até que eu estava conseguindo estudar bem nesse ritmo. O problema é que o trabalho costumava apertar. Final de dezembro de 2009 e janeiro de 2010, época que costuma ser tranqüila na maioria dos trabalhos, foi um “fumo” desgraçado. Não consegui estudar nada nesse período. Mesmo assim, fui chamado para o curso de formação da SAD-PE, concurso que foi realizado em janeiro de 2010 (e foi apenas minha segunda prova de concurso), e quase passei no TRT-SE, que foi realizado em março. Ou seja, pra quem pensa que não dá pra estudar trabalhando, dá sim! Conheço muita gente que passou em ótimos concursos e que sempre trabalhou.
Porém, acho que oportunidade é algo que a gente deve aproveitar. Venho de uma família de classe média que tem plenas condições de me sustentar em casa. Isso sem contar que também juntei uma graninha nessa época que trabalhei na iniciativa privada. Pra melhorar, o sonho da minha mãe era que eu fosse funcionário público (ela, meu pai e minha irmã são todos funcionários públicos =P), ou seja, eu tinha o apoio da família. Por isso, pedi demissão em maio de 2010 pra estudar. Não foi uma decisão fácil, mas foi uma das melhores coisas que fiz na minha vida =P
Eu estudava 6 horas líquidas por dia – 3 pela manhã e 3 pela tarde. A noite era para relaxar… malhava, via basquete, futebol, saia com a namorada etc. Parece aqueles livros de psicologia e auto-ajuda, mas é sério: estudar para concurso é uma maratona. Não adianta estudar 12 horas por dia num mês e não agüentar manter o ritmo no próximo por estar cansado. O ritmo tem que ser sustentável. Pra quem agüenta passar 6 meses estudando 12 horas por dia, meus parabéns. Eu, particularmente, não consigo. Mas 6 horas por dia eu consigo tranquilamente, e foi o que fiz até o concurso do MPU: estudei 6 horas por dia durante 5 meses.
Durante esse tempo ainda teve o curso ITneranteRF. Foi perfeito, pois estudava o assunto da aula seguinte durante a semana e já chegava na aula com dúvidas específicas apenas para preencher as lacunas. Embora o curso começasse os assuntos do zero, aproveitei bastante, mesmo já tendo estudado a maioria dos assuntos. A didática dos professores fez com que os assuntos que eu achava que já sabia bem fixassem melhor.
Estudei pela bibliografia tradicional: Pressman, Tanenbaum, Stallings, Direito Constitucional e Administrativo Descomplicado, materiais oficiais de CMMI, PMBOK, MPS.BR e por aí vai. Como a legislação específica do MPU é pequena, deixei para estudar 1 semana antes do concurso – e foi bom, pois cheguei na prova com tudo bem fresquinho na cabeça. Estudei bastante os assuntos que menos dominava e as não específicas. Foi o que me passou, pois acertei 29 das 30 questões de direito, e ainda deixei a outra em branco (evitando perder ponto por errar uma de certo ou errado).
Agora estou em BSB. Tomei posse recentemente, aluguei uma kitnet e, agora que estou devidamente estabelecido, voltei aos estudos =P. Esse ano vai ser meio fraco de concurso, mas não adianta descansar e deixar pra estudar em cima da hora. O negócio é estudar já esse ano pros concursos do próximo ano. Em 2012 deve rolar CGU, BACEN e alguns outros “concursos top”.
Vamo nessa! =)

»crosslinked«

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Antonio Martins disse:

    Parabéns Pacheco. Uma referência como profissional e estudante. Não vejo a hora de terminar minha faculdade para poder começar a trilhar essa jornada/caminhada e com certeza chegar lá. Desejo ao amigo que consiga ir bem mais longe. Boa sorte!!!!

  2. Monique disse:

    Parabéns, Pacheco! Eu sabia que você chegaria lá!  Sucesso!
    []’s
    Monique

  3. Juliano disse:

    Primeiramente, parabéns Rodrigo! Mas conte ai como é sua rotina de trabalho lá no MPU. Em que lugar está lotado? O ambiente de trabalho é bom? Boa estrutura? Mto trabalho? Há rumores de quando começarão a chamar os CR? Estou em 17º em analista de desenvolvimento também para o DF! Será que serei chamado? Em breve? Sei que são muitas perguntas mas é que a ansiedade é grande! hehehe
    Flw!

  4. Jader disse:

    Rodrigo, primeiro parabéns! Trabalhar e estudar num é fácil, sei como é. Particularmente tenho muita dificuldade, pois tenho 4:00 h por dia pra estudar. Nesse caso, tento fazer um ciclo de disciplinas por dia, para estar sempre com os assuntos frescos e até para render melhor. No seu caso, como fazia? Tipo, estudava as 3:00h de uma única disciplina pela bibliografia oficial todo o dia? Como organizava o seu revezamento de discplinas? Dividia estudo teórico e resolução de discplinas? Vlw!

  5. Dani disse:

    Espero conseguir chegar lá também, parabéns!!! Eu sou estudante de Eng. de Software e já sou servidora pública, nível médio. Meu sonho é passar no TCU, mas toda vez que vejo os editais passados minha barriga gela!!! E o pior de tudo que quanto mais aprendo na faculdade, vejo cada vez mais a densidade de conteúdo do edital! Como você conseguiu abordar tanto conteúdo? Eles cobram uns 5 cursos de TI numa prova só!!! Abs.   Tudo de bom!!!

  1. fevereiro 4, 2011

    […] This post was mentioned on Twitter by Saga Federal – (PF), TIMasters. TIMasters said: Post: Trajetória: Rodrigo Pacheco, Aluno ITnerante-RF, Aprovado no MPU 2010: Meu nome é… http://goo.gl/fb/yDG7H […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *