Mudança de Paradigmas na Aprovação em Concursos

Senhores,

Segue uma versão turbinado de um texto que eu escrevi despretensiosamente e que acabou gerando bastante repercussão na TImasters:

O que aprova nos Concursos atualmente é a capacidade do aluno em se DIFERENCIAR, afinal, não tem vaga pra todo mundo que assista às mesmas aulas.

Antigamente, só quem tinha ACESSO aos materiais era quem passava, uma vez que quem não tinha o mesmo privilégio precisava fazer um esforço sobre-humano para ter alguma chance. Eu sou dessa época, onde não se tinha nada, nem a hoje popular raçãozinha…

Hoje, como a democratização do acesso, o que era o diferencial (ter o material), agora virou o piso. Não ter o material te reprova, mas Ter o material só garante que você tem o mínimo de chances…

Não se engane, o que vai ter aprovar hoje é a capacidade que você tem de “processar” esses materiais com EQUILÍBRIO, ou seja, sem cair na tentação de embarcar na “jornada na maionese”, focando no “detalhe do detalhe” de algumas disciplinas, enquanto que outras ficam totalmente descobertas.

O pior é que o cara acha que está estudando, e está mesmo, só que está estudando ERRADO.  Contudo, o que mais revolta é que alguns professores estimulam essas “viagens” que, no fundo, só prejudicam os alunos.

Resumindo, senhores, o paradigma do ACESSO foi substituído pelo paradigma do EQUILÍBRIO.

Por fim, uma regra que a maioria não entende: “Não se passa em um Concurso de TI estudando só TI.

Bons Estudos!

WC

»crosslinked«

Walter Cunha

O professor Walter Cunha é pós-graduado em Gerência de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Engenheiro Eletrônico pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica ( ITA).

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *